jun 292019
 

Se você usa Linux, alguma vez já notou uma lentidão extrema – a ponto de algumas vezes deixar o sistema irresponsivo – ao copiar arquivos grandes, de alguns gigabytes, para mídias lentas, como pendrives USB (especialmente aqueles “genéricos”, que oferecem baixa performance)? Se o seu computador é 64 bits e tem bastante memória RAM (8 GB ou mais), muito provavelmente já notou isso. Tanto é que até o Linus Torvalds já abordou esse problema [1], há alguns anos atrás; mesmo assim, ainda não há uma solução definitiva, mas existem tunings do subsistema de Virtual Memory do kernel do Linux que minimizam esse problema.

Antes de continuar, é preciso entender um pouco sobre alguns conceitos do gerenciamento de memória do Linux. Não vou entrar em muitos detalhes, pois este não é um artigo acadêmico, mas no final colocarei algumas referências para quem quiser se aprofundar mais. Um primeiro conceito que deve ficar claro é: o Linux trabalha por padrão com buffered I/O. De forma simplificada, isso significa que as operações de escrita simplesmente copiam os dados para a memória RAM [2], e depois, em background, o kernel vai fazendo a escrita em si (flush) no dispositivo destino. Dado isto, entra o segundo conceito: dirty memory, que é justamente essa informação que está temporariamente na memória RAM, esperando ser escrita em um dispositivo de armazenamento.

Continue reading »

jun 222018
 

INTRODUÇÃO

Pretendo abordar nesse tutorial a migração das máquinas virtuais do Citrix XenServer para o ProxMox. Por mais que a versão 6.2 do Citrix XenServer tenha se tornado 100% opensource, nunca fiquei 100% satisfeito com o XenCenter (ferramenta de gerenciamento do Citrix XenServer) ser disponibilizado apenas para Windows. Com isso,  fui obrigado a ter uma máquina virtual com Windows apenas para gerenciar os servidores Citrix Xen. Assim, surgiu o interesse em migrar para o KVM (Kernel-based Virtual Machine) que possui várias ferramentas de gerenciamento. Por considerar mais prática e intuitiva, a escolha feita foi pelo ProxMox VE.

 

EXPORTANDO A VM DO XENSERVER

É inegável que  XenCenter seja muito intuitivo. Mas na maioria das vezes, o procedimento de exportação de VM (Menu: VM>Export) não funciona corretamente:
citrix-export-error

Continue reading »

Criando servidor de arquivos GNU/Linux com RAID virtual e DFS em rede Windows

 Leitura Recomendada, Segurança, Sistemas de Armazenamento, Windows  Comentários desativados em Criando servidor de arquivos GNU/Linux com RAID virtual e DFS em rede Windows
mar 052014
 
Introdução

Evidente, que estas configurações funcionaram para mim, e espero que auxilie a outros, entretanto (como é de praxe salientar), eu não me responsabilizo por possíveis problemas que possam surgir ao utilizá-lo.

O sistema operacional utilizado foi o Ubuntu Server 12.04.3 x64 e o Hardware foi um computador comum Duo Core com 1 GB de RAM, 1 slot IDE (PATA), 4 slots SATA, comunicação de rede onboard Ethernet e acesso à Internet.

O slot PATA foi particularmente interessante, pois ainda é comum encontrar placas-mãe com ela. Como eu possuía um HD PATA de 160 GB novo (por assim dizer), aproveitei e o utilizei no sistema operacional. Conectei dois HDs SATA iguais de 500 GB para o RAID e servir para armazenar os dados disponibilizados na rede.

Assim, me restaram mais dois slots SATA livres para um upgrade de outro array RAID1, se eu precisar.

A utilização de um HD exclusivo para o sistema operacional não é uma regra, mas, é uma boa prática. Mesmo se eu não tivesse o HD PATA, teria adicionado outro HD SATA dedicado ao sistema operacional ou, pensaria em soluções alternativas, como instalar o Ubuntu Server em um Disk-on-key, em vez de um HD.

Instalei o Ubuntu sem adicionar nenhum pacote extra com o SSH, LAMP, etc. A instalação do Ubuntu, não será abordada no texto.

Para a edição dos arquivos de configuração, utilizei o editor de texto nano, mas não tente usar outro editor como Vi ou Emacs, pois as configurações não irão funcionar. 😉

Vale ressaltar, que todos os comandos listados abaixo precisaram de direitos de administrador ou root.  Continue reading »