set 062021
 

O Google Colab, é um ambiente de testes do google que te permite executar arquivos Python em nuvens utilizando o sistema operacional Ubuntu diretamente pelo seu navegador. Nesse vídeo vou apresentar a compilação de um script que fiz, para que você de uma maneira bem simples, possa utilizar o rclone para copiar arquivos do onedrive para o google drive, do google drive para o Mega, do Mega para o Dropbox, do Dropbox para o Amazon, enfim entre todos os serviços de clouds suportados pelo Rclone.

 

Como instalar o DbGate, um Administrador de banco de dados, no Ubuntu, Linux Mint, Fedora, Debian

 Backup, Banco de Dados, CentOS 7 / RHEL 7, Clusterweb, ClusterWeb, Debian, Leitura Recomendada, Linux, Profissional de TI, Programação, Redes, Segurança  Comentários desativados em Como instalar o DbGate, um Administrador de banco de dados, no Ubuntu, Linux Mint, Fedora, Debian
jul 172021
 

Ferramenta de administração de banco de dados de código aberto

O DbGate é uma ferramenta de administração de banco de dados. Uma ferramenta moderna de manipulação de dados de plataforma cruzada para Microsoft SQL Server, PostgreSQL, MySQL e MongoDB. Neste tutorial, saiba como instalar o administrador de banco de dados DbGate no Linux.

Continue reading »

fev 092021
 

Overview

Install and configure Fail2Ban to block attacking hosts using a null route or blackhole routes.

PRO:
– Works on all kernel versions and as no compatibility problems (back to debian lenny and WAY further).
– It’s FAST for very large numbers of blocked ips.
– It’s FAST because it Blocks traffic before it enters common iptables chains used for filtering.
– It’s per host, ideal as action against ssh password bruteforcing to block further attack attempts.
– No additional software required beside iproute/iproute2
CON:
– Blocking is per IP and NOT per service, but ideal as action against bruteforcing hosts.

Continue reading »

Como adicionar um usuário a um grupo no Linux via terminal

 CentOS 7 / RHEL 7, Clusterweb, ClusterWeb, Debian, Leitura Recomendada, Linux, Profissional de TI, Segurança, Ubuntu  Comentários desativados em Como adicionar um usuário a um grupo no Linux via terminal
fev 072021
 

Como adicionar um usuário a um grupo no Linux via terminal

Como devemos proceder para adicionar um usuário a um grupo no sistema operacional Linux? Tornar um usuário membro de um grupo é uma tarefa simples, que pode ser realizada com o uso dos comandos useradd, adduser, gpasswd ou usermod no terminal.

Os comandos useradd e adduser (que é um script na verdade) permitem criar um novo usuário no sistema, e além disso também permitem adicionar um usuário já existente a um grupo determinado. Já o comando usermod permite modificar a conta de um usuário, e isso inclui torná-lo membro de grupos existentes no sistema. Também vamos mostrar o comando gpasswd, que entre outras coisas permite gerenciar os grupos do sistema.

Continue reading »

dez 032020
 
Irei detalhar de forma bem pratica e funcional, pronto para já funcionar Fail2ban com Zimbra 8.8.x
  • Instale o fail2ban seguindo as instruções da sua distribuição – (Versão 0.9.6 pra cima)
Após instalado e sabendo que esta iniciando corretamente (por padrão) faça as devidas configurações.

mv /etc/fail2ban/jail.d/defaults-debian.conf /etc/fail2ban/jail.d/defaults-debian.conf.bkp
mv /etc/fail2ban/jail.conf /etc/fail2ban/jail.conf.bkp
vim /etc/fail2ban/jail.conf

 Continue reading »
dez 032020
 

Problema

Neste artigo, explicaremos como mover / migrar um servidor zimbra para outra máquina.

Pré-requisitos

Os servidores zimbra de origem e de destino devem estar executando a mesma versão. Por exemplo, se a origem está rodando 8.6, o zimbra instalado no destino também deve ser 8.6.

Resolução

Resumindo, a solução é: interromper o zimbra no servidor de origem, fazer um backup de / opt / zimbra, instalar um novo servidor, interromper o servidor antigo, configurar a rede do novo servidor e configurar hosts, instalar o software zcs na nova máquina , substitua / opt / zimbra na nova máquina pelo backup já feito da máquina antiga, corrija as permissões, execute uma instalação normal do zcs.

Continue reading »

Redimensionar ou expandir partições de disco no Linux sem precisar desligar o computador

 Clusterweb, ClusterWeb, Debian, Leitura Recomendada, Linux, Midia, Profissional de TI, Sistemas de Armazenamento, Ubuntu  Comentários desativados em Redimensionar ou expandir partições de disco no Linux sem precisar desligar o computador
nov 092020
 

Um recurso, tradicionalmente, adotado por administradores de sistemas Linux, para gerenciar partições no disco, é usar o Gerenciador de Volume Lógico (LVM).

Ele é um método para alocar espaço do disco rígido, em volumes lógicos, que podem ser facilmente redimensionados; diferentemente das partições salvas nas tabelas de partições.

Uma das grandes vantagens do uso do LVM é poder criar uma camada lógica sobre um disco rígido ou conjunto de discos e ter condições de de criar, excluir, redimensionar e expandir partições no disco sem precisar desligar o computador ou mover dados.

Lembre-se de que toda operação com partições é perigosa, por melhor que seja a técnica. Tenha sempre um backup de seus arquivos. Esta operação é por sua conta e risco!É pré-requisito, importante, que o usuário tenha conhecimentos intermediários/avançados das ferramentas de manipulação de disco no Linux.

 

Continue reading »

nov 092020
 

Introdução

LVM significa Logical Volume Manager. Como o nome diz, essa ferramenta é capaz de gerenciar os chamados volumes lógicos, substituindo assim as tradicionais partições nos discos. Ao longo do tempo, várias empresas fizeram suas implementações de LVM e o Linux não ficou para trás: ele também possui uma implementação (e muito boa) de LVM, que na época da escrita deste documento está na versão 2.

Utilizar volumes lógicos ao invés do esquema de particionamento comum traz algumas boas vantagens. Mas antes de saber destas vantagens, precisamos saber o que são esses tais volumes lógicos. Um volume lógico é nada mais nada menos que uma representação virtuais de pedaços de um dispositivo fixo. Enquanto as partições definem estes pedaços “cruamente”, o volume lógico permite flexibilidade na hora de definir quem são esses pedaços. Por exemplo, um volume lógico pode ter seu espaço dividido em 3 ou mais HDs, mas para o sistema operacional vai parecer como se fosse apenas um dispositivo. Sendo assim começa a ficar clara as vantagens, não?

Continue reading »

nov 092020
 

To extend a logical volume you simply tell the lvextend command how much you want to increase the size. You can specify how much to grow the volume, or how large you want it to grow to:

# lvextend -L12G /dev/myvg/homevol
lvextend -- extending logical volume "/dev/myvg/homevol" to 12 GB
lvextend -- doing automatic backup of volume group "myvg"
lvextend -- logical volume "/dev/myvg/homevol" successfully extended

Continue reading »

nov 092020
 

Do you want to compress or decompress (zip/unzip/rar/unrar) files on Google Drive, Then watch this video until the end!

To do this, I’m using Google Colab.

Copiar Arquivos do Mega Para o Google Drive Utilizando O Colab

 Backup, CentOS 7 / RHEL 7, Clusterweb, ClusterWeb, Debian, Desktop, Leitura Recomendada, Linux, Midia, Nuvens, Profissional de TI, Rclone  Comentários desativados em Copiar Arquivos do Mega Para o Google Drive Utilizando O Colab
set 092020
 

O Colab é uma mão na roda para desenvolvedores, e também é possível fazer várias tarefas de maneira bem simples como copiar arquivos entre diferentes serviços de nuvens, sem utilizar sua internet. Nesse vídeo, ensino como utilizar o colab para copiar arquivos para uma conta do google drive, ou um Drive Compartilhado (Drive de Equipes) de maneira super simples, sem nenhuma dificuldade, utilizando apenas seu navegador de internet.

 

Fazendo Cópia entre Clouds Pelo Navegador com Rclone-Gui

 Clusterweb, ClusterWeb, Debian, Desktop, Leitura Recomendada, Linux, Midia, Nuvens, Profissional de TI, Rclone, Ubuntu  Comentários desativados em Fazendo Cópia entre Clouds Pelo Navegador com Rclone-Gui
set 092020
 

Copie arquivos entre mais de 30 serviços de nuvens utilizando seu navegador com rclone Gui.

Você pode fazer transferência ilimitada de conteúdo entre nuvens, utilizando seu próprio computador, ou um VPS.

Antes de mais nada, não tenho conteúdo de filmes ou séries, não alugo, não vendo; As demonstrações desse vídeo foram feitas usando servidor de um cliente com sua autorização.

Com Rclone Web-Gui você poderá transferir do Mega Para O Google Drive, do Gdrive para Dropbox, Dropbox para drives de equipes, etc. Abaixo seguem os comandos utilizados.

Comandos Utilizados no Vídeo:

#Checar Versão npm -v

#Instalar rpm no Centos 7:

curl –silent –location https://rpm.nodesource.com/setup_8.x | sudo bash – sudo yum -y install nodejs sudo yum -y install gcc-c++ make

#Instalar no Ubuntu:

curl -sL https://deb.nodesource.com/setup_7.x | sudo -E bash – sudo apt-get install -y nodejs

INSTALAR E HABILITAR RCLONE WEB-GUI:

sudo rclone rcd –rc-web-gui –rc-user=admin –rc-pass=12131415 –rc-addr=:5591 –rc-serve &

ago 082020
 

Com as invasões de PCs, máquinas zumbis e outras coisas que podem ser um incômodo (principalmente quando se trata de um servidor), medidas de segurança nunca são demais.

Hoje, eu vou mostrar um simples script que criei para o IPtables. Eu fiz isso no Slackware 14.0, mas você poderá também executar este script em outra distribuição.

Bloqueando portas de entrada:

#!/bin/sh
#Iptables configuração.
#Script criado por Pangas

iptables -A INPUT -p icmp –icmp-type echo-request -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 80 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 443 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 22 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 1234 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 21 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 12345 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 20 -j DROP

A opção -A INPUT diz que o Firewall deverá bloquear todas as portas de entradas que forem definidas. Nesse caso, eu resolvi criar um script que possa ser usado tanto em computadores domésticos, quanto em servidores.

Podem ver, que eu bloqueei também a porta do X e a porta padrão do NetBus. Pois fiquei sabendo de patches para GNU/Linux. Nenhum sistema operacional é 100% seguro, tanto que, até o Android da Google também é infectado.

A opção -p indica o protocolo. Você pode usar TCP ou UDP.

Já a –destination-port indica a porta de destino. Ou seja, qual serviço deve ser bloqueado ou liberado pelo IPtables. A opção -j DROP indica que a porta será bloqueada. Deve ser definida logo após a porta destino.

ago 082020
 

Limpar todo Histórico do root via ssh (linha de comando) no CentOS

Fala pessoal, hoje vamos deixar mais essa dicar para nossos visitantes e clientes.

O comando é simples, veja:

cat /dev/null > ~/.bash_history && history -c && exit

Entendendo o comando:
~/.bash_history  – é responsável por armazenar todas as linhas de comando executadas;
cat /dev/null > ~/.bash_history  – você está nulificando o conteúdo do “bash_history“;
history -c  – você está limpando inclusive a linha usada para nulificar o histórico usada anteriormente;
exit – você desconecta do usuário sem deixar rastros.

Valeu pessoal, espero ter ajudado!