jun 292017
 

INTRODUÇÃO GERAL – EXEMPLOS E CONSELHOS

 

Artigo sobre uma das técnicas para ter um sistema GNU/Linux inteiro utilizando a rede TOR em uma máquina cliente.

Pode ser muito útil para quem queira utilizar o TOR com wget, curl, nmap etc. Ferramentas de rede em modo texto, ou mesmo gráfico, com o TOR/rede TOR. Este não é um artigo técnico ao extremo, é suficientemente técnico para a compreensão do funcionamento geral de um sistema “Torificado” como, por exemplo, o Tails OS.

Lembro que a segurança do sistema que veremos aqui (e de qualquer outro, de forma geral) depende de muitos fatores, como criptografia das conexões, resolução de DNS, as chaves utilizadas e, principalmente, do ser humano que o opera.

Requisitos gerais:

  • Sistema GNU/Linux
  • TOR
  • POLIPO proxy HTTP
  • IPtables
  • Manipulação de arquivos de configuração
  • Noções de redes, Proxys
  • Conexão com a internet
  • Vontade de aprender, muita leitura e trabalho duro (kkkk)

Continue reading »

LIVRENFE – O EMISSOR NFE OPEN SOURCE PARA LINUX

 Apache2, Clusterweb, ClusterWeb, Debian, Linux, Profissional de TI, Programação, Redes, Segurança, Ubuntu  Comentários desativados em LIVRENFE – O EMISSOR NFE OPEN SOURCE PARA LINUX
jun 282017
 

INSTALAÇÃO

 

Em 2016, o SEFAZ anunciou que o emissor de Nfe gratuito seria descontinuado. Isto me motivou a procurar algumas soluções open source para Linux de emissor de NFe, porém, não encontrei nenhum projeto que me atenda, só bibliotecas ou emissores para Windows.

Decidi começar um projeto do zero, um emissor de NFe para Linux como principal S.O. Já estou terminando os últimos detalhes para poder fazer o primeiro release beta e pensei em apresentá-lo neste site. Embora o SEFAZ já anunciou que o emissor gratuito deles não será mais descontinuado, talvez alguns de vocês estejam procurando outra alternativa para emitir Nfe usando ferramentas de código aberto.

O código está no GitHub. Abaixo, estão os passos para instalar o emissor no Debian 8.
Continue reading »

Change HostName in CentOS 7 / RHEL 7

 CentOS 7 / RHEL 7, Clusterweb, ClusterWeb, Leitura Recomendada, Linux  Comentários desativados em Change HostName in CentOS 7 / RHEL 7
jun 092017
 

After installing the CentOS 7 on my server, i tried to change host name by modifying the /etc/sysconfig/network; it did not take an effect of the modification. Even after multiple reboot of server, the host name remains localhost.localdomain. The procedure to change the host name in CentOS 7 is now totally different from the previous version, this guide will help you to setup the host name on CentOS 7 / RHEL 7.

CentOS 7 supports three class of Host Names:

Static – The static host name is traditional host which can be chosen by the user and is stored in /etc/hostname file.

Transient – The transient host name is maintained by kernel and can be changed by DHCP and mDNS.

Pretty – It is a free form UTF -8 host name for the presentation to the user.

HostName can be,

  • 64 character in a length
  • Recommend to have FQDN
  • Consists of a-z,A-Z, 0-9, “-”, “_” and “.” only

Continue reading »

jun 062017
 

a) WPAD could be set automatically (only in Internet Explorer) from DHCP – you have to add DHCP option, for example:

/ip dhcp-server option
add code=252 name=auto-proxy-config value=http://wpad.intranet/wpad.dat

(where value is address of your wpad script) and then use it in DHCP server network, for example:

/ip dhcp-server network
add address=192.168.100.0/24 dhcp-option=auto-proxy-config dns-server=192.168.100.1 gateway=192.168.100.1

Continue reading »

OCS-NG INVENTORY NO DEBIAN 8 (JESSIE) – INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

 Clusterweb, ClusterWeb, Debian, Desktop, Leitura Recomendada, Linux, Profissional de TI, Redes, Segurança  Comentários desativados em OCS-NG INVENTORY NO DEBIAN 8 (JESSIE) – INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO
jun 012017
 

Autor: Willian ricardo mendonca <willian.ricardo.mendonca at gmail.com>
Data: 11/05/2017

INTRODUÇÃO

 

O OCS inventory NG (Open Computer and Software Inventory Next Generation) é um software livre que permite aos administradores de rede gerar um inventário completo de seus ativos de TI. O OCS-NG coleta informações sobre o software e o hardware das maquinas em rede que executam seu agente (“OCS inventory agent”).

As informações coletadas são organizadas e gravadas em um banco de dados instalado no servidor, o OCS utiliza uma interface WEB pra exibir ao usuário, ou administrador de rede, as informações coletadas de forma amigável. O OCS também conta com uma função chamada IpDiscover, que funciona como um SNMP scan que identifica todos os equipamentos da rede.

O princípio de funcionamento do OCS é o seguinte, o agente se comunica com o servidor (nunca o contrário) e envia as informações de inventário em formato XML, essa informações são tratadas pelo servidor e gravadas no banco de dados MySQL. As trocas de informações entre cliente e servidor podem ser feitas via HTTP ou HTTPS, as transmissões de software e SNMP scan são feitos somente em HTTPS.

O servidor de gerenciamento do OCS-NG é composto basicamente por quatro elementos, são eles:

  • Servidor de banco de dados → que armazena informações de inventário (MySQL),
  • Servidor de comunicação → que lida com as comunicações HTTP ou HTTPs entre o servidor de banco de dados e agentes (Apache e Perl),
  • Console de administração → que permite aos administradores consultar o servidor de banco de dados usando seu navegador favorito (Apache, php)
  • Servidor de implantação → que armazena toda a configuração de implementação do pacote (Apache, SSL).