jul 172019
 

Introduction

Proxmox VE 6.x introduces several new major features. Carefully plan the upgrade, make and verify backups before beginning, and test extensively. Depending on the existing configuration, several manual steps—including some downtime—may be required.

Note: A valid and tested backup is always needed before starting the upgrade process. Test the backup beforehand in a test lab setup.

In case the system is customized and/or uses additional packages (for example GlusterFS) or any other third party repositories/packages, ensure those packages are also upgraded to and compatible with Debian Buster.

In general, there are two ways to upgrade a Proxmox VE 5.x system to Proxmox VE 6.x:

  • A new installation on a new hardware (and restoring VMs from the backup)
  • An in-place upgrade via apt (step-by-step)

In both cases emptying the browser cache and reloading the GUI page is required after the upgrade.

Continue reading »

jul 162019
 

Introdução

O Proxmox VE 6.x introduz vários novos recursos principais. Planeje cuidadosamente a atualização, faça e verifique os backups antes de começar, e teste extensivamente. Dependendo da configuração existente, várias etapas manuais, incluindo algum tempo de inatividade, podem ser necessárias.

Nota: Um backup válido e testado é sempre necessário antes de iniciar o processo de atualização. Teste o backup antecipadamente em uma configuração de laboratório de teste.

Caso o sistema seja personalizado e / ou use pacotes adicionais (por exemplo, GlusterFS) ou quaisquer outros repositórios / pacotes de terceiros, assegure-se de que esses pacotes também sejam atualizados e compatíveis com o Debian Buster.

Em geral, existem duas maneiras de atualizar um sistema Proxmox VE 5.x para o Proxmox VE 6.x:

  • Uma nova instalação em um novo hardware (e restauração de VMs do backup)
  • Uma atualização in-loco via apt (passo-a-passo)

Em ambos os casos, é necessário esvaziar o cache do navegador e recarregar a página da GUI após a atualização.

Continue reading »

KVM usando o DHCP no Proxmox

 Clusterweb, ClusterWeb, Leitura Recomendada, Linux, Profissional de TI, Proxmox  Comentários desativados em KVM usando o DHCP no Proxmox
jun 022019
 

Atribuir IPs estáticos a convidados do KVM usando o DHCP no Proxmox

Esta é a minha configuração ao atribuir IPs estáticos a convidados do KVM usando o DHCP no Proxmox. Atualmente, tenho 1 IP público e 2 IP de failover (o IP de failover tem endereço MAC anexado).

Instale o servidor DHCP:

apt install isc-dhcp-server

Edite a configuração:

vi /etc/default/isc-dhcp-server

# Add below lines. The default bridge is vmbr0.
INTERFACES="vmbr0"

Modifique o /etc/dhcp/dhcpd.conf. Exemplo:

subnet 0.0.0.0 netmask 0.0.0.0 {
authoritative;
default-lease-time 21600000;
max-lease-time 432000000;
}

# Bind IP by MAC
host VM1 {
hardware ethernet 192:44:xx:xx:xx:x1;
option routers 72.xxx.xxx.1;
option subnet-mask 255.255.255.255;
fixed-address xxx.xxx.xxx.114;
option domain-name-servers 8.8.8.8,8.8.4.4;  
}

host VM2 {
hardware ethernet 192:44:xx:xx:xx:x2;
option routers 72.xxx.xxx.1;
option subnet-mask 255.255.255.255;
fixed-address xxx.xxx.xxx.254;
option domain-name-servers 8.8.8.8,8.8.4.4;  
}

Certifique-se de que o servidor dhcp esteja em execução após a reinicialização:

systemctl enable isc-dhcp-server
reboot

Mais tarde, ao criar a VM, basta especificar o endereço MAC para um IP específico e usar o DHCP para obter o IP atribuído.

abr 022019
 

Objetivo

 

Aqui falaremos rapidamente sobre os procedimentos que utilizamos para instalar o Proxmox. Antes de iniciar esse procedimento, recomendamos uma lida em nosso artigo (neste link, ou nas referências abaixo) comparando algumas soluções antispam, para lhe ajudar a decidir se esta solução é a melhor para seu caso.

Passos/Condutas

 

Lembre-se de alterar as partes em cinza para o padrão de sua empresa.

  • Preparar o Ambiente (Servidores):

Antes de iniciar, obtenha a ISO mais atual do Proxmox Mail Gateway no site da proxmox. É importante que o nome DNS esteja funcionando corretamente (neste exemplo os endereços serão quarentena.suaempresa.com.brmail.suaempresa.com.br e mail2.suaempresa.com.br)

Para a montagem do ambiente é importante demonstrar os pré-requisitos necessários para a instalação do, utilizamos a configuração padrão de servidores:

 

Ambiente/Função Nó1 Nó2 Nó3
Nome no HOST DMZ-041-MS DMZ-042-MS DMZ-043-MS
Nome de REDE quarentena.suaempresa.com.br mail2.suaempresa.com.br mail.suaempresa.com.br
Endereço SEU_IP_1 SEU_IP_2 SEU_IP_3
Função Quarentena de e-mail para usuários Filtro de mensagens Filtro de mensagens
Size 4GB de RAM
100GB de Disco
8GB de RAM
30GB de Disco
8GB de RAM
30GB de Disco

 

Continue reading »

out 042018
 

O gerenciador de cluster Proxmox VE pvecm é uma ferramenta para criar um grupo de servidores físicos. Esse grupo é chamado de cluster . Usamos o Mecanismo de cluster do Corosyncpara comunicação de grupo confiável, e esses clusters podem consistir de até 32 nós físicos (provavelmente mais, dependendo da latência da rede).

O pvecm pode ser usado para criar um novo cluster, unir nós a um cluster, deixar o cluster, obter informações de status e executar várias outras tarefas relacionadas ao cluster. A P rox m o x Cbrilho F ile S istema ( “pmxcfs”) é utilizado para distribuir de forma transparente a configuração de cluster para todos os nós de fragmentação.

O agrupamento de nós em um cluster possui as seguintes vantagens:

  • Gerenciamento centralizado baseado na web
  • Clusters multi-mestre: cada nó pode fazer toda tarefa de gerenciamento
  • pmxcfs : sistema de arquivos baseado em banco de dados para armazenar arquivos de configuração, replicado em tempo real em todos os nós usando o corosync .
  • Fácil migração de máquinas virtuais e containers entre hosts físicos
  • Implantação rápida
  • Serviços em todo o cluster, como firewall e HA

Continue reading »

Migration of servers to Proxmox VE

 Clusterweb, Profissional de TI, Proxmox, Segurança, Virtualização  Comentários desativados em Migration of servers to Proxmox VE
jun 222018
 

Introduction

You can migrate existing servers to Proxmox VE. Moving Linux servers is always quite easy so you will not find much hints for troubleshooting here.

Windows systems specific P2V issues

inaccessible boot device

Booting a virtual clone (IDE) of a physical Windows system partition may fail with a BSOD referring to the problem

STOP: 0x0000007B (0xF741B84C,0xC0000034,0x00000000,0x00000000)
INACCESSIBLE_BOOT_DEVICE 

this means that the source physical windows machine had no support for IDE controller, or at least the one virtually replaced by kvm (see Microsoft KB article article for details): as Microsoft suggests, create a mergeide.reg file (File:Mergeide.zip) file on the physical machine and merge that in the registry, ‘before the P2V migration. Btw, it may not be necessary but should be no harm, anyway, and save you lots of time and headaches.

Continue reading »

jun 222018
 

INTRODUÇÃO

Pretendo abordar nesse tutorial a migração das máquinas virtuais do Citrix XenServer para o ProxMox. Por mais que a versão 6.2 do Citrix XenServer tenha se tornado 100% opensource, nunca fiquei 100% satisfeito com o XenCenter (ferramenta de gerenciamento do Citrix XenServer) ser disponibilizado apenas para Windows. Com isso,  fui obrigado a ter uma máquina virtual com Windows apenas para gerenciar os servidores Citrix Xen. Assim, surgiu o interesse em migrar para o KVM (Kernel-based Virtual Machine) que possui várias ferramentas de gerenciamento. Por considerar mais prática e intuitiva, a escolha feita foi pelo ProxMox VE.

 

EXPORTANDO A VM DO XENSERVER

É inegável que  XenCenter seja muito intuitivo. Mas na maioria das vezes, o procedimento de exportação de VM (Menu: VM>Export) não funciona corretamente:
citrix-export-error

Continue reading »

jun 102018
 

Artigo – Usando Storage Distribuído com Proxmox e Ceph

 Banco de Dados, Clusterweb, ClusterWeb, Debian, Leitura Recomendada, Linux, Profissional de TI, Redes, Segurança, Vlans  Comentários desativados em Artigo – Usando Storage Distribuído com Proxmox e Ceph
jun 012018
 

Porque usar Storage Distribuído com Proxmox

Quem trabalha com virtualização sabe dos benefícios em contar com um storage em sua estrutura. Pode ser um equipamento montado e instalado com FreeNas ou Nas4Free, pode ser um equipamento proprietário dos grandes players do mercado como IBM e Dell; são inúmeras às vantagens em relação a utilização das maquinas virtuais nos hds locais. Características como migração de Maquinas Virtuais (VMs) entre diferentes Hosts (Computador físico onde roda a VM) de forma on-line sem se preocupar com quedas de serviço; utilização de alta disponibilidade entre tantas outras. Este é o mundo dos storages centralizados tradicionais.

Continue reading »

Conheça o Proxmox Ve

 Apache2, Banco de Dados, Leitura Recomendada, Linux, Virtualização, Vlans  Comentários desativados em Conheça o Proxmox Ve
ago 162014
 

O Proxmox é uma solução de virtualização (Completa/Para virtualização) de Código Aberto para rodar suas appliances e Máquinas Virtuais, e fácil de administrar pois possui uma interface WEB limpa. Em sua versão atual, 1.9, está rodando em cima da distribuição GNU/Linux Debian 5.0 (Lenny), mas a versão 2.0 beta deverá rodar em cima da Versão 6.0 (Squeeze), irei cobrir as alterações dessa nova versão assim que for lançada.

As principais caraterísticas são: É livre, Roda em Distribuição Debian (Lenny), KVM/OpenVZ, Backup/Restauração via interface Web, Cluster, Live Migration da VM, Bonding de Interfaces de rede, etc.

Requirimentos:

  • Socket Duplo, Quad Core CPU
  • CPU: 64bit (Intel EMT64 or AMD64)
  • Intel VT/AMD-V (para suporte a virtualização KVM)
  • 8 GB RAM é bom, mas quanto mais é melhor
  • RAID por Hardware
  • Disco Rígidos Rápidos, para melhores resultados, utilizar discos com 15K RPM SAS, Raid10 são bem vindos.
  • 2 Gbit NIC (para bonding), Interfaces de redes adicionais só dependem do tipo de storage utilizado
MINIMO (APENAS TESTE)
  • CPU: 64bit (Intel EMT64 ou AMD64)
  • Intel VT/AMD-V (para suporte a virtualização KVM)
  • Minimo 1 GB RAM
  • Hard drive
  • Uma interface de Rede

Continue reading »