set 092020
 

Copie arquivos entre mais de 30 serviços de nuvens utilizando seu navegador com rclone Gui.

Você pode fazer transferência ilimitada de conteúdo entre nuvens, utilizando seu próprio computador, ou um VPS.

Antes de mais nada, não tenho conteúdo de filmes ou séries, não alugo, não vendo; As demonstrações desse vídeo foram feitas usando servidor de um cliente com sua autorização.

Com Rclone Web-Gui você poderá transferir do Mega Para O Google Drive, do Gdrive para Dropbox, Dropbox para drives de equipes, etc. Abaixo seguem os comandos utilizados.

Comandos Utilizados no Vídeo:

#Checar Versão npm -v

#Instalar rpm no Centos 7:

curl –silent –location https://rpm.nodesource.com/setup_8.x | sudo bash – sudo yum -y install nodejs sudo yum -y install gcc-c++ make

#Instalar no Ubuntu:

curl -sL https://deb.nodesource.com/setup_7.x | sudo -E bash – sudo apt-get install -y nodejs

INSTALAR E HABILITAR RCLONE WEB-GUI:

sudo rclone rcd –rc-web-gui –rc-user=admin –rc-pass=12131415 –rc-addr=:5591 –rc-serve &

set 092020
 

Recebo várias solicitações de como copiar um conteúdo compartilhado com você para dentro de um Drive Compartilhado (Drive de Equipes) sem a necessidade de fazer download e upload. Nesse tutorial, irei ensinar como fazer essa cópia entre drives de equipes, ou conteúdos compartilhados com você para dentro do seu drive, ou para dentro de um drive de equipes, sem precisar utilizar a sua internet, de forma bem simples utilizando de comandos linux no Google Colab.

ago 082020
 

Com as invasões de PCs, máquinas zumbis e outras coisas que podem ser um incômodo (principalmente quando se trata de um servidor), medidas de segurança nunca são demais.

Hoje, eu vou mostrar um simples script que criei para o IPtables. Eu fiz isso no Slackware 14.0, mas você poderá também executar este script em outra distribuição.

Bloqueando portas de entrada:

#!/bin/sh
#Iptables configuração.
#Script criado por Pangas

iptables -A INPUT -p icmp –icmp-type echo-request -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 80 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 443 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 22 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 1234 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 21 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 12345 -j DROP
iptables -A INPUT -p tcp –destination-port 20 -j DROP

A opção -A INPUT diz que o Firewall deverá bloquear todas as portas de entradas que forem definidas. Nesse caso, eu resolvi criar um script que possa ser usado tanto em computadores domésticos, quanto em servidores.

Podem ver, que eu bloqueei também a porta do X e a porta padrão do NetBus. Pois fiquei sabendo de patches para GNU/Linux. Nenhum sistema operacional é 100% seguro, tanto que, até o Android da Google também é infectado.

A opção -p indica o protocolo. Você pode usar TCP ou UDP.

Já a –destination-port indica a porta de destino. Ou seja, qual serviço deve ser bloqueado ou liberado pelo IPtables. A opção -j DROP indica que a porta será bloqueada. Deve ser definida logo após a porta destino.

jun 152020
 

O Sed é um editor de textos não interativo. Vem do inglês Stream Editor, ou seja, editor de fluxos (de texto).

O Sed é um editor de textos não interativo. Vem do inglês [S]tream [ED]itor, ou seja, editor de fluxos de texto. O Sed da GNU, atualmente é o utilizado pela maioria das distribuições de Linux e é o que tem mais funcionalidades novas: GNU/Linux.

É case sentive

  • -i altera o arquivo
  • -e imprime na tela sem alterar o arquivo
  • -n faz a supressão, mostra só o resutado do comando
  • s substitui um trecho de texto por outro
  • ! inverte a lógica do comando
  • ; separador de comandos
  • | separador de strings
  • d no final deleta
  • p no final imprime
  • g no final (como se usa o d e p) altera todas as ocorrências
  • q sai do sed , não continua o comando

Continue reading »

FreeNAS – Habilite e configure o Armazenamento de Objetos no FreeNAS 11.x compatível com APIs S3 – com base no MinIO

 Backup, Banco de Dados, Clusterweb, ClusterWeb, FreeNAS, Leitura Recomendada, Linux, Profissional de TI, Sistemas de Armazenamento  Comentários desativados em FreeNAS – Habilite e configure o Armazenamento de Objetos no FreeNAS 11.x compatível com APIs S3 – com base no MinIO
abr 122020
 

Hoje, trago a você o passo a passo para configurar o Armazenamento de Objetos no FreeNAS 11.x, que utiliza o MinIO como uma plataforma para atender às APIs do S3.

O que é o MinIO?

O MinIO é um servidor de armazenamento de objetos de código aberto lançado sob a licença Apache v2. É compatível com o serviço de armazenamento em nuvem do Amazon S3. O MinIO segue uma filosofia de design minimalista.

O MinIO é leve o suficiente para ser empacotado com a pilha de aplicativos. Está localizado no lado do NodeJS, Redis, MySQL e similares. Diferentemente dos bancos de dados, o MinIO armazena objetos como fotos, vídeos, arquivos de log, backups, imagens de contêiner / VM etc. O MinIO é mais adequado para armazenar notas de informações que variam de KBs a TBs cada. Em um sentido simplista, é como um servidor FTP com uma simples API get / put sobre HTTP.

Continue reading »

jul 202019
 

Se você possui contas Google Drive, Dropbox, OneDrive e outras opções, veja como fazer para usar vários serviços de armazenamento na nuvem com RcloneBrowser no Ubuntu, Arch Linux e derivados.

 

Use vários serviços de armazenamento na nuvem com RcloneBrowser

Continue reading »

jul 102019
 

How posso instalar e usar uma prisão FreeBSD gerenciar chamado iocage no servidor FreeNAS a partir da linha de comando? Como faço para criar a cadeia FreeNAS com o comando iocage?

iocage é uma ferramenta de jail ou gerenciador de contêineres para o FreeBSD. Ele também está disponível no sistema NAS baseado no FreeNAS. Ele vem com alguns dos melhores recursos e tecnologias que o sistema operacional FreeBSD tem a oferecer. A ferramenta iocage fornece facilidade de uso com uma sintaxe de comando simples e fácil de entender para o gerenciamento de jails. Esta página mostra como gerenciar o FreeNAS Jails com a opção de linha de comando iocage.

Etapa 1 – Login no servidor FreeNAS

Use o comando ssh: Torne – se um usuário root usando o comando sudo: Encontre o endereço IP do seu servidor FreeNAS e o nome da interface, digite: Anote sua interface de rede real. Você deve ativar, ou seja, definir um zpool ativo para uso iocage. Meu nome zpool é nixcraft (use para obter uma lista de zpool), então eu corro:
ssh [email protected]
ssh [email protected]

$ sudo -i

# ifconfig
FreeNAS encontrar endereço IP e nome da interface
zpool list
# iocage activate nixcraft

 

Continue reading »

maio 242019
 

PRELIMINARES

 

Um pouco da história sobre este estudo.

Resolvi criar este artigo devido à dificuldade em encontrar material de apoio sobre como utilizar o script “ghettoVCB.sh” para efetuar snapshots de máquinas virtuais de servidores ESXi 5.0, de forma automatizada.

O script ghettoVCB é simples, prático e fácil de configurar na sua forma básica (caminho_destino + número_cópias), que é o que, na prática, todo administrador precisa (efetuar snapshot das máquinas virtuais quentes salvando no destino desejado).

E é com este intuito que escrevi este tutorial. O meu objetivo era montar uma solução *FREE* automatizada para snapshot das VMs, utilizando recursos simples e básicos.

Para isso, utilizei também um servidor (em VM) Ubuntu Server 11.04 64 bits. Neste material, cito a possibilidade de backup através de um servidor NFS na rede, mostrando de forma simples e objetiva, como instalar e configurar este recurso.

Resumindo, este artigo trata da minha experiência na configuração do script, efetuando snapshot das VMs quentes, com agendamento programado em um servidor GNU/Linux com Ubuntu Server 11.04, salvando as snapshots em um case de HD conectado à porta USB da máquina física ESXi e também em um storage com FreeNAS instalado em máquina física através de NFS e iSCSI.

Como abordo de forma simples o script ghettoVCB, sugiro visitar a comunidade VMware para informações específicas sobre o funcionamento da ferramenta:

Configurando um endereço IP estático com Netplan

 ClusterWeb, Leitura Recomendada, Linux, Profissional de TI, Redes, Ubuntu  Comentários desativados em Configurando um endereço IP estático com Netplan
fev 072019
 

Abaixo seguem as etapas para configurar um endereço IP estático com o Netplan. Os arquivos de configuração do Netplan estão localizados no diretório /etc/netplan/. O padrão do arquivo de configuração é /etc/netplan/01-netcfg.yaml.
Abra o arquivo de configuração com um editor:

sudo nano /etc/netplan/01-netcfg.yaml
A sintaxe de configuração é na linguagem de programação Python (formato .yaml), de modo que a indentação das linhas é importante!

Aqui está um exemplo para um endereço IPv4 estático 192.168.1.100 na primeira interface de rede ens33 e gateway IP 192.168.1.1. O servidor usará os servidores DNS gratuitos do Google 8.8.8.8 e 8.8.4.4 para a resolução de nomes.

Continue reading »

Alterar IP principal em um servidor CentOS com painel whm/cPanel

 Apache2, CentOS 7 / RHEL 7, Clusterweb, ClusterWeb, Debian, Leitura Recomendada, Linux, Profissional de TI, Redes, Segurança  Comentários desativados em Alterar IP principal em um servidor CentOS com painel whm/cPanel
jan 262019
 

Em algum momento você poderá precisar alterar o IP principal de um servidor utilizando sistema Operacional CentOS e painel cPanel. Apesar de parecer um processo complexo, um usuário com conhecimento básico em comandos shell  e com acesso root poderá realizar sem maiores problemas em poucos passos.

Continue reading »

set 192018
 

Constantemente surge uma nova tecnologia no ramo de hospedagem de sites, com intuito de melhorar a performance deles. O HD SSD é mais uma dessas novas “técnicas”.

Acredito que você já tenha ouvido falar neste termo, que tanto tem sido usado pelas empresas de hospedagem, e logo surgiu a dúvida o que é hospedagem com HD SSD e quais são suas vantagens e desvantagens?

Preparamos esse post para que você, de forma simples e rápida, descubra o que é a hospedagem com HD SSD bem como seus pontos positivos e negativos. Fique conosco e confira!


O QUE É HOSPEDAGEM COM HD SSD?
Continue reading »